quinta-feira, 17 de março de 2016

Estudantes do UNIFESO pesquisam entorno do Parque Nacional

 
publicado em: 16/03/16











Estudantes dos cursos de Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia de Produção e Ciências Biológicas do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) realizam uma “Pesquisa Ação” nos bairros Jardim Serrano e Quebra-Frascos ao longo deste ano, com o objetivo de conhecer as necessidades dos moradores, comerciantes e empresas que atuam na região, que é uma zona de amortecimento do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO). 
A pesquisa surgiu por intermédio da estudante Cristiane Tiemi Yoshikawa, do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, que procurou a professora Maria Helena Carvalho da Silva para falar dos problemas da região, e em seguida as duas conversaram com o pesquisador do PARNASO Marcos Gomes, que recebeu uma carta do Ministério Público pedindo esclarecimento sobre o relacionamento do Parque com esses bairros. 
“Jardim Serrano e Quebra-Frascos foram afetados pela tragédia de 2011, algumas casas se perderam e existia uma creche que parou de funcionar. Outro problema detectado é que a região não possui posto de saúde e também não tem uma escola adequada. A única que atende a comunidade é somente do segundo ano até o quinto, e com isso os alunos maiores precisam se deslocar para outros bairros, mas o ônibus não passa em todos os horários, ou seja, são vários problemas sociais”, explica a professora Maria Helena. 
A professora explica que foi criado um grupo com estudantes e que há um um edital do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) específico para o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), sendo o PARNASO uma unidade de conservação do ICMBio. A pesquisa foi submetida a esse edital e Thamirys Siqueira foi contemplada com uma bolsa. 

“Acredito que o papel do curso é fazer com que os alunos trabalhem também fora da sala de aula, pois é uma vivência diferente e mais prática, é diferente do que passamos em matérias, eles irão se deparar com problemas e terão que avaliar as soluções”, destaca a professora Maria Helena.
FONTE: Gerencia de comunicação.

quarta-feira, 16 de março de 2016

CAFE CIENTIFICO: Ictioplâncton: importância e aspectos metodológicos do estudo das fases iniciais de peixes.


Café cientifico: dia 18 de março de 2016
Tema:  Ictioplâncton: importância e aspectos metodológicos do estudo das fases iniciais de peixes.
Horário: 17:00
Palestrante: Dr. Régis Vinícius Souza Santos
Local: sala 05 do prédio dos laboratórios
Participem!

CAFE CIENTIFICO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PARNASO: QUALIFICANDO A PARTICIPAÇÃO SOCIAL NA GESTÃO AMBIENTAL PÚBLICA




Palestrante: Marcus Machado Gomes
data: 11 de março de 2016
Horário: 17:00h
local: Sala 5 do prédio dos laboratórios











CONFERENCIA: DOENÇAS INFECCIOSAS E SUAS (NOVAS) FACES: A EMERGÊNCIA DOS DOS VÍRUS DENGUE, CHIKUNGUNYA E ZIKA NO BRASIL



No dia 05 de março o UNIFESO  foi apresentada a palestra sobre  “Doenças Infecciosas e suas (novas) faces: a emergência dos vírus Dengue, Chikungunya e Zika no Brasil” com a participação da infectologista Dra. Andréia Gomes, professora adjunta da Universidade Federal de Viçosa.  Os estudantes de ciências biológicas prestigiaram o evento.
De acordo com a conferencista, o grande desafio é estabelecer esquemas de proteção como existem para outras doenças que são consideradas sob controle. “Zika e Chikungunya são duas viroses muito novas, que chamamos de emergentes. Estamos em um momento em que elas estão em plena atuação, um momento crítico porque está se fazendo uma relação do zika vírus com a microcefalia. É importante que os profissionais de saúde entendam como se dá esse processo e disseminem essas informações na comunidade porque muitas notícias que estão circulando são falsas, são ruins e isso gera pânico, o que não é bom para nada”, alertou a professora Andréia Patrícia Gomes. (fonte Gerencia de comunicação)



terça-feira, 15 de março de 2016

CAFE CIENTIFICO DIA 04 DE MARÇO: BROMÉLIAS: DO MICRO AO MACRO.





No dia 04 de março a pesquisadora do ICMBio/PARNASO Isabela Deiss de Farias apresentou a palestra sobre Bromélias: do micro ao macro e sua interação ecológicas. Na palestra foi discutido a importância das bromélias para a natureza, além anuros  que as frequentam diariamente. A pesquisadora também explicou para o público presente a importância da educação ambiental nas unidades de conservação. 







domingo, 13 de março de 2016

CAFÉ CIENTIFICO ESPECIAL PREVENÇÃO CONTRA OS MOSQUITOS


Na noite do dia 04 de março os egressos e Biólogos José Antonio e Carlos Rafael apresentaram para os estudantes do curso de Ciências Biológicas as últimas informações sobre a dengue, zika e chicungunya, como realizar a prevenção no nosso dia a dia, alem de discutir com  os estudantes a biologia dos mosquitos da Aedes e do Culex, as palestras foram acompanhadas pelos professor Renan e o coordenador do curso o professor Carlos Alfredo. 









terça-feira, 8 de março de 2016

UNIFESO assina convênio com o PARNASO

publicado em: 07/03/16



A Fundação Educacional Serra dos Órgãos (FESO) e o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO) firmaram, no dia três de março, uma parceria para que os estudantes do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) possam desenvolver estágios e, em conjunto com os professores e pesquisadores, ajudar no desenvolvimento de estudos no parque. 
“O PARNASO é um parque importante e o UNIFESO é uma Instituição que oferece formação nas áreas ambientais, portanto é interessante colocar nossos estudantes nesse cenário de prática e colaborar no desenvolvimento de pesquisas com os nossos professores, essa é a intenção da parceria”, analisa o professor Luis Eduardo Possidente Tostes, Diretor Geral da FESO. 
O professor José Feres Abido de Miranda, Pró-Reitor Acadêmico do UNIFESO, destaca que “a Instituição tem uma preocupação com a sociedade e com o meio ambiente, por isso o desenvolvimento de cursos do UNIFESO voltados para essa questão. A parceria com o PARNASO é significativa, pois colabora na formação dos nossos estudantes”. 
“O parque faz parte da minha história. Quando entrei para a coordenação, lembro que o professor Feres me questionou sobre o por que da Instituição não ter uma parceria com o PARNASO. Agora com o casamento consolidado vamos conseguir crescer muito”, conta a professora Vivian Telles Paim, coordenadora dos cursos de Engenharia de Produção e Engenharia Ambiental e Sanitária. 


Sobre o PARNASO
O PARNASO é uma unidade de conservação federal de proteção integral e abrange os municípios de Guapimirim, Magé, Petrópolis e Teresópolis, além de ser vinculado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Com 20.024 hectares, abriga mais de 2.800 espécies de plantas catalogadas, 462 aves, 105 mamíferos, 103 anfíbios e 83 répteis, que inclui 130 animais ameaçados de extinção. 


O Chefe do Parque, Leandro do Nascimento Goulart, explica que “estamos aqui apenas para formalizar um casamento que já existe entre as duas Instituições. Temos uma demanda do PARNASO de aprimorar o corpo técnico, o que se torna mais viável com a colaboração dos alunos e professores do UNIFESO, e de nossa parte oferecemos a eles um campus avançado de pesquisa e conhecimento”. Já a coordenadora de biodiversidade do PARNASO, Cecília Faria, acredita que “existem possibilidades de atuação do Parque, dos professores e dos alunos do UNIFESO para o desenvolvimento de programas de pesquisa e extensão, com o que  as duas instituições só tem a ganhar”.

Fonte: Gerencia de Comunicação






Postagens mais visitadas